instagramyoutubefacebookg

Nossas Redes Sociais twitter

instagramyoutubefacebookg

Nossas Redes Sociais twitter

Carisma

icone crucificado

O Carisma Passio Domini nasce do coração transpassado de Jesus, um coração que verte sangue e água  (S. João 19,34 – mas um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança e, imediatamente, saiu sangue e água). O sangue refere-se à vida eucarística em sua plenitude (adoração, reparação, devoções específicas, particulares e comunitárias ao Santíssimo Sacramento na Santa Missa ou em momentos solenes de exposição do Santíssimo Sacramento, bem como no zelo pela Liturgia) já a água revela a graça do Batismo (da evangelização, do senhorio de Jesus, da conversão e profissão de fé), nascidos assim do coração transpassado de Jesus crucificado somos impelidos a assemelharmo-nos a Ele. (Cf. CIC § 616).

A expressão primeira do nosso Carisma encontra-se na experiência com o Crucificado, esposo de nossas almas, o Senhor da Paixão. Descobrimos que na Cruz está o Tudo e dela provém tudo. É da Alegria da Paixão Redentora que provém a nossa mais profunda motivação para o anúncio poderoso do Amor Incondicional. Todos os filhos do Carisma Passio Domini trazem em si o desejo de alguns valores que caracterizam a sua consagração:

 

Nossos Valores
- Amor Incondicional
- Verdade
- Acolhimento
- Obediência
- Empatia
- Fidelidade
- Prontidão
- Humildade
- Formação
- Missão

  

Definição do nosso Carisma:
“Discípulos e Ministros do Amor Incondicional para Alívio do Sofrimento pessoal e do outro”.

Com a vivência do Carisma Passio Domini, desejamos evangelizar e como discípulos estar aos pés da Cruz e seguir o Mestre em seus ensinamentos; como ministros, servir ao povo de Deus em suas necessidades espirituais e materiais, “Ser” para o próximo “Alívio do Sofrimento”. É preciso salientar que em um mundo profundamente relativista e paganizado o maior sofrimento que existe é a ausência de Deus.

 

carisma2Inspiração Bíblica do Carisma

Ninguém subiu ao céu senão aquele que desceu do céu, o Filho do homem que está no céu. Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do homem, para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna. Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele. ” (João 3,13-17)

 

Queremos “levantar o Cristo crucificado no meio da Humanidade”, na mística da “Alegria da Paixão”, para que a cruz não seja vista como sinal de derrota ou de sofrimento, pelo contrário, que ela seja vista como o grande sinal de nossa salvação e redenção.

 

 

 

 

 

 

nossa senhora graÃasA presença da Virgem Maria como Patrona da Obra
A pessoa da Santíssima Virgem Maria sob o título de Nossa Senhora das Graças é de suma importância na vida e conversão de nosso fundador, que entrou na Igreja pela via da Legião de Maria. Desde sempre ela o acompanhou, amparou e sustentou na caminhada rumo a Jesus seu filho. Não poderia ser diferente com o início da Comunidade Católica Passio Domini – Consagrados a Virgem Maria. Isso mesmo, temos nome e sobrenome, somo todos da Paixão do Senhor, somos todos da Virgem Maria. Na escola discipular, aos pés da Paixão do Senhor, na montanha daqueles que amam, está a Virgem Maria a primeira discípula da Paixão com João, o discípulo amado. A Virgem Maria para nós é modelo de consagrada, é modelo de discípula do Amor Incondicional. Por meio dela aprendemos a amar a Jesus, aprendemos a amar a Humanidade. Assim, nos consagramos a Jesus por ela segundo o método de S. Luís Maria G. de Monfort, para afirmarmos nossa pertença á mãe de Deus, para testemunharmos nosso amor por ela. Salve Maria!