São José: um coração de pai

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+

Neste mês de março estamos iniciando o ano dedicado à São José, embora tenhamos seu nome citado nos evangelhos apenas quatorze vezes, a ele são dedicados vinte e seis versículos, e a tradição nos enriqueceu com os valores inerentes a sua personalidade marcante, a sua atitude decisiva na preservação da vida da Sagrada Família, sua presença providente e previdente na vida da Virgem Maria além de ser modelo de homem, trabalhador, honesto, disposto, justo, casto e obediente a voz de Deus para o menino Jesus.

Nas Sagradas escrituras não há referência de seu nascimento e nem da sua morte, no entanto sabemos que sua existência histórica, paterna foi preponderante na formação do caráter de Jesus. 

Deus falava com São José enquanto dormia através dos sonhos

Estar no sono significa, num primeiro momento, a falta de entendimento, o domínio do pensamento, a ausência da consciência, mas quando o anjo lhe aparece e revela o plano divino, ao despertar José compreende que precisa obedecer a essa revelação, fazendo-a na força do Espírito Santo. O Espírito Santo vos revelará toda a verdade. (João 16,13). São José se vê parte de uma obra, de um projeto maior que os dele, de sonhos maiores que os seus. Os planos de Deus são sempre maiores do que os nossos e vivê-los é a certeza de céu. O sonho torna-se realidade, São José assume sua missão paterna, torna-se o guardião da Virgem Maria e do menino Jesus, com tudo que implica a missão da paternidade, em tudo São José torna-se pai de Jesus.

“Chamado a proteger o Redentor.” “José fez como lhe ordenara o anjo do Senhor e recebeu a sua esposa” (Mateus 1,24).

Atributos de São José

São José é um homem de grandes atributos que configuram sua masculinidade, que lhe constituem como modelo de ser humano. Ele é Justo: A escolha de Deus é por um homem justo (Mateus 1,9); Destemido: José, filho de Davi, não temas em receber Maria como sua esposa (Mateus 1,20); Puro: A pureza de José, Maria (Lucas 2, 22 -23); Silencioso: É no silêncio e na esperança que reside a vossa fortaleza” (Isaías 30,15). Nos seus atributos torna-se imagem de Homem aos olhos do menino Deus.

São José protagoniza momentos importantes no início da vida do salvador. Ele é descendente da casa de Davi (Mateus 1,16 / Lucas 1,27), esposo de Maria (Mateus 1,18), pai de Jesus (Mateus 1,20; 13,55 / Lucas 3,23; João 1,45; 6,42), perplexo diante do mistério da encarnação (Mateus 1,19), guardião da família na fuga ao Egito e volta com Maria e o Menino para Nazaré (Mateus 2, 14. 19-23). Como guardou a Jesus também guarda a sua Igreja.

O santo padre o Papa Francisco esse ano proclamou um ano josefino, nos convidando a entrar na escola de São José, a descobrir como ter fé e acreditar mesmo em meio aos nossos medos e fraquezas, na certeza de que Deus está conosco. Essa escola nos ensina o caminho da reconciliação, com Deus, consigo mesmo, na sua própria história e com os outros; no acolhimento se demonstra o dom da fortaleza.

São José nos ensina a doação da própria vida como dom de si: 

Toda a verdadeira vocação nasce do dom de si mesmo, que é a maturação do simples sacrifício. Mesmo no sacerdócio e na vida consagrada, requer-se este gênero de maturidade. Quando uma vocação matrimonial, celibatária ou virginal não chega à maturação do dom de si mesmo, detendo-se apenas na lógica do sacrifício, então, em vez de significar a beleza e a alegria do amor, corre o risco de exprimir infelicidade, tristeza e frustração. (Papa Francisco – Patris corde)

Toda doação explicita o amor divino através da doação humana, esse é o grande ensinamento da escola Josefina. Aproveitemos esses tempos de graça e aumentemos nossa devoção ao patrono da Igreja e guardião da santa Igreja para que sejamos como ele, dócil, fiel, disposto e solicito à vontade de Deus.

Oração à São José

Salve, guardião do Redentor e esposo da Virgem Maria! A vós, Deus confiou o seu Filho; em vós, Maria depositou a sua confiança; convosco, Cristo tornou-Se homem. Ó Bem-aventurado José, mostrai-vos pai também para nós e guiai-nos no caminho da vida. Alcançai-nos graça, misericórdia e coragem, e defendei-nos de todo o mal. Amém.

 

Diácono Luizinho

Fundador e Moderador CCPD

More to explorer

A sua misericórdia não faltará!

No domingo seguinte a maior festa da Igreja, a Páscoa de Nosso Senhor, celebramos a festa da Divina Misericórdia, um pedido especial