“Preparai o caminho”

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+

“Que dizes de tu mesmo? Ele respondeu: Eu sou a voz que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como o disse o profeta Isaías” (Jo 1, 22-23)

Esta foi a resposta de João Batista quando questionado sobre sua identidade. (Que dizes de tu mesmo?)

Poderíamos aqui falar amplamente sobre a identidade de São João Batista, mas, apesar da extrema riqueza, não é o intuito.

Ao olhar São João Batista podemos contemplar a figura do consagrado, que respondendo ao seu chamado, consegue encontrar -se em sua essência. Consegue construir sua identidade e, ser o que Deus lhe propôs. Eis aí a fonte de nossa reflexão: SER O QUE DEUS QUER QUE SEJAMOS – SANTOS.

A busca da vontade de Deus é o anseio de todo aquele que, mergulhado no amor, deseja SER muito mais que fazer ou ter. Deseja estar unido ao seu amor e viver eternamente nessa condição.

A vocação respondida acertadamente nos confere essa alegria.

Aqui caberia a cada um perguntar -se: Que digo de mim mesmo? Quem sou eu? Para que vivo?

São questionamentos próprios do ser humano, independente de já ter elegido a Deus como Senhor de sua vida. A nossa sociedade vive um tempo de busca constante de si mesmo. De busca da própria existência, do sentido.

Então, poderia surgir a seguinte questão: mas se busco a mim mesmo, estou sendo egoísta?

Santa Teresa Benedita da Cruz diz: “O que conhecemos de nós mesmos não é senão superfície. A profundidade permanece-nos em grande parte oculta. Só Deus a conhece”.

Se buscamos a nós mesmos, buscamos nossa essência e, esta está em Deus. Somente Ele é capaz de nos levar a ela e a uma vida inteira, completa, longe da fragmentação que hoje a humanidade vive.

O egoísmo é fruto de um isolamento no qual somos iludidos em pensar na possibilidade de não precisar de ninguém, de bastar-se. Sendo assim, não precisamos de Deus.

Quando nos questionamos, verdadeiramente, sobre nossa essência, buscamos na verdade o sentido de vida, a vocação.

O lugar de cada um de nós depende unicamente da nossa vocação. A vocação não se encontra simplesmente depois de ter refletido e examinado os vários caminhos: é uma resposta que se obtém com a oração.” (Santa Teresa Benedita da Cruz)

 

Encerro, convidando a reflexão sincera, verdadeira, diante daquele que nos ama e nos salva, resgatando a dignidade de filhos de Deus, a respeito da identidade, do sentido de vida. Quem sou? O que posso dizer de mim?

Que o bom Deus, no início deste ano, nos auxilie na busca pela verdade de nossas vidas, nos levando a corajosamente assumir nossa essência, assim como os santos o fizeram.

 

Célia Santana

Cofundadora e consagrada da CCPD

More to explorer

Partilha de bens

Deus criou o mundo e tudo mais que existe nele, para que não falte nada aquele que foi criado a Sua imagem