O meu Imaculado Coração triunfará

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+

E tu sofres muito! Não desanimes, eu nunca te deixarei. O meu Imaculado coração será teu refúgio e o caminho que conduzirá a Deus (cf. memórias aparição de Fátima)

Na aparição de 13 de junho de 1917, Nossa Senhora promete a Lúcia, um dos três pastorinhos, que sempre estaria com ela, que a guardaria em seu coração e iria conduzi-la a Deus. Grande consolo e mensagem de esperança em tempos tão difíceis.

Diante das guerras, e das ofensas ao sagrado coração de Jesus, Nossa Senhora de Fátima quis usar de três crianças, para estabelecer no mundo a devoção ao seu Imaculado Coração, sendo as práticas: confissão, comunhão, oração do terço e meditação da palavra. Contudo, o cerne da mensagem da bela e doce mãe é um pedido de conversão, penitência, adoração e oração. Ela promete que quem as praticar, alcançará o céu.

Nossa mãe Maria Santíssima em tudo acolheu o plano de salvação de Deus, ela sabe que somos o preço da morte de Jesus, e nos recebeu como seus filhos; “quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse a sua mãe, mulher eis aí teu filho. Depois disse ao discípulo, eis aí a tua mãe”. (João 19,26)

Isso não aconteceu tão somente aos pés da Cruz, mas se perpetua para a eternidade.  Como vai dizer Santo Afonso: ninguém jamais ousará tirar estes filhos de Maria, se tiverem recorrido a ela em busca de salvação contra o inimigo. Que fúria do inferno poderá vencê-los se refugiarem sob a proteção da virgem mãe Maria. Essa santa mãe quando vê seus filhos em perigo, em meio a ciladas e tentações, esconde-nos amorosamente como dentro em suas entranhas, em seu Imaculado Coração. A virgem Maria é esse refúgio seguro em todos os perigos desta vida.

Nunca existiu outra pessoa com o coração mais unido a Jesus, como o coração da mãe santíssima, ela o amou como merecia. Maria não retém nada para ela, tudo oferta e leva para Deus. Por isso a doce mãe e este caminho que nos leva a Jesus. “ Todos que se hão de salvar, hajam de o conseguir por meio de Maria” (Santo Afonso – Glórias de Maria) 

Como não Amar essa boa e doce mãe, quando me faltou uma mãe na terra, por ficar órfã de mãe aos 13 anos de idade, Maria sempre me ajudou e acolheu e me ensinou a ser mulher, mãe, esposa, serva e discípula de Jesus. Não me faltou o exemplo e o colo de mãe. Em meu matrimônio, Maria me ajudou, e mesmo sem condições financeiras, não nos faltou nada em uma bela celebração, como sinal da interseção da mãe, recebi de presente da senhora de quem aluguei o vestido de noiva, uma bela imagem de Nossa Senhora de Fátima. No calvário da minha vida, Maria me ajudou a permanecer firme, com os olhos fixos no Senhor e unir minhas dores a sua paixão redentora.

Vivemos tempos difíceis: guerras invisíveis, doenças, pestes, mortes, fome, desespero, povos sedentos de Deus, clamando por salvação. Mais uma vez precisamos recorrer ao Imaculado Coração de Maria. Jesus nos deu a Mãe aos pés da Cruz, precisamos levá-la para casa, nossa intimidade, em nosso coração.

Amando a santíssima Virgem Maria honrando-a em reparação às ofensas ao seu Imaculado Coração e ao Sagrado Coração de Jesus. Nós, filhos do carisma Passio Domini, somos chamados a essa reparação, mas esse convite é para toda a Igreja de Cristo.

Se somos fiéis à nossa vocação, se permanecermos firmes, ofertando nossos sofrimentos pela conversão e salvação dos pecadores, continuamos a missão do nosso amado Senhor Jesus. Pela intercessão e proteção da bem aventurada sempre Virgem Maria, iremos até o fim e contemplaremos o triunfo de seu imaculado coração.

“Eu sou, Rainha do céu e mãe de misericórdia; para os justos sou alegria e para os pecadores sou a porta por onde entram para Deus. Não há no mundo pecador tão perdido, que não participe de minha misericórdia”. ( Maria revelou a Santa Brígida)

Luciana Coutinho

Consagrada CCPD

More to explorer

A sua misericórdia não faltará!

No domingo seguinte a maior festa da Igreja, a Páscoa de Nosso Senhor, celebramos a festa da Divina Misericórdia, um pedido especial

São José: um coração de pai

Neste mês de março estamos iniciando o ano dedicado à São José, embora tenhamos seu nome citado nos evangelhos apenas quatorze vezes,